Estilo de vida Mudança

E se você largasse tudo para viajar?

Há exatos dois anos, eu fiz o que pode ser considerado uma loucura para muitos e um motivo de inveja para tantos outros. Eu larguei um emprego estável na minha área de formação para viajar pelo mundo.

Como eu ainda estava no começo da minha carreira, essa não foi uma decisão das mais difíceis. Tudo o que eu queria naquele momento era “me encontrar” e a estabilidade daquele trabalho que eu estava realizando não me dava esta chance. Então, eu pedi demissão e coloquei todos os meus pertences em uma mala, e me vi deixando o país com uma passagem de ida e volta para um projeto de intercâmbio na Itália.

Como eu voltaria em três meses, eu tinha esperanças de que logo depois estaria empregada novamente. Com isso em mente, eu juntei os últimos centavos da minha conta bancária, que restavam depois de pagar a faculdade e uma pós-graduação, para financiar aquela viagem.

O que eu não sabia no momento da partida era que aqueles três meses se transformariam em um ano, e que uma estadia na Itália me levaria até a Índia e depois até a Turquia. Ainda bem que eu não sabia, porque, talvez, isso me faria questionar a minha decisão de viajar com dinheiro contado.

O que aconteceu no meio do caminho foi natural: eu tive que encontrar uma maneira de fazer dinheiro, se eu não quisesse morrer de fome ou pedir esmolas para sobreviver um ano todo viajando com dinheiro suficiente para apenas três meses.

E foi por isso que eu fui capaz de conciliar um trabalho de longas horas em um hotel cinco estrelas no Sul da Índia com todo tipo de trabalho freelance nas horas extras.

Enquanto alguns dos meus colegas de quarto, que também estavam fazendo algum outro projeto de intercâmbio, iam para a balada na sexta-feira à noite e passavam as manhãs de sábado descansando, eu estava dando aulas de português, ou sendo figurante em um filme de “Bollywood”, ou mesmo servindo coquetéis em festas para a alta classe.

Mas, em nenhum momento eu me questionei sobre a minha decisão de pedir demissão do meu antigo trabalho para viajar. Eu visitei lugares incríveis e vivi inúmeras experiências que eu nunca serei capaz de esquecer.

Aquela viagem me ensinou que, na verdade, eu preciso de muito pouco para ser feliz, além de ser um excelente exercício de autoconhecimento. Também me ajudou a conectar com pessoas de todo o mundo, o que antes eu apenas seria capaz de fazer por meio das redes sociais na internet.

Mas o sucesso que eu observo olhando para trás na minha experiência, não é uma garantia para ninguém mais. Qualquer pessoa que decidir fazer o mesmo neste exato momento, pode experimentar um resultado completamente diferente.

E, por mais que essa decisão traga tanta incerteza, uma coisa é absolutamente certa:

Quem fizer o mesmo vai aprender. Muito!

Se você, como eu já fiz um dia, tem pesquisado bastante sobre quem largou tudo para viajar ou sobre o estilo de vida nômade que a nossa geração tanto inveja, provavelmente deve saber o quão incrível é viver uma experiência como essa, ou viver com mais liberdade, podendo ganhar dinheiro trabalhando online, enquanto viaja.

Bem. Sem querer te desapontar, eu tenho algumas razões que provam que não é tão simples, e que mesmo sendo difícil farão com que você aprenda intensamente ao largar tudo para viajar.

Vamos dizer que você quer começar um blog para fazer dinheiro online. É verdade que existem pessoas que fazem sucesso com blogs que não acrescentam nada além de mostrar o que elas vestem, como se exercitam, o que comem ou para onde viajam.

Mas eu, honestamente, não gosto de pessoas que apenas falam de si mesmas. Isso até pode inspirar alguém, mas será que o mundo precisa de mais um millennial narcisista falando o tempo todo sobre si mesmo?

Quando você se expõe, tudo pode acontecer. É verdade. E, embora você tenha a oportunidade de se conectar com pessoas incríveis em todo o mundo, isso também vai fazer você ter que lidar com pessoas bem intencionadas, mas que não fazem a menor ideia de quem você realmente é e do que elas estão falando.

O problema é que quando você se abre para conhecer qualquer pessoa ao redor do mundo, você está mais sujeito a encontrar alguns indivíduos que podem te causar problemas. É claro que eu estou falando de coisas comuns, como a falta de respeito, mas também estou tentando abrir os seus olhos para coisas sérias como crimes e violência.

Você precisa se vender o tempo todo. Mesmo que o trabalho em uma corporação fosse desgastante, eu acabei sentindo um pouco de falta do anonimato associado ao meu antigo emprego. Sim, eu lidava o tempo todo com a equipe comercial e de marketing, mas eu nunca era o produto. Quando eu me vestia para o trabalho, aquela vestimenta funcionava como um escudo que me defendia. É muito mais difícil fazer isso quando você está trabalhando por conta própria.

Viajar é uma das piores maneiras de conseguir guardar dinheiro. Apenas pense no investimento inicial, e depois em manter o seu estilo de vida no novo destino, sem falar do custo de oportunidade em deixar de ganhar um salário enquanto você viaja.

Deixe-me explicar apenas os primeiros passos para você ter uma ideia.

Primeiro você deve ter um passaporte válido. Depois, você deve comprar o bilhete da passagem, o que geralmente custa caro, especialmente se o seu destino for outro continente. Logo, você precisa investir em uma mala, que seja de boa qualidade para durar por um bom tempo, se você ainda não tem uma. Isso tudo antes de colocar os pés no avião.

Para alguns países, você também precisa de um visto, e nem estou falando dos custos para chegar às capitais que emitem esse documento. O que me leva ao próximo tópico.

Você pode até viver onde bem entender, desde que não precise de visto. Vamos ser realistas. Você pode amar a ideia de passar um ano vivendo na Europa, e mesmo se você estiver ganhando dinheiro trabalhando online, você dificilmente poderia permanecer em terras europeias por mais de três meses, a não ser que você consiga um visto de estudante, por exemplo. Ainda assim, talvez, você tenha a sorte (e recursos para isso) e possa viajar para diferentes países dentro da Europa até que você consiga se manter.

Eu ainda não sei exatamente se eu poderia me manter sozinha vivendo em outro país por muito tempo. Mesmo sendo minimalista. Mesmo que eu me alimente apenas de pão e água. Mesmo que eu abra mão de qualquer e todo tipo de conforto. E mesmo que eu leve a minha família para enfrentar tudo isso comigo.

A verdade é que eu já passei por tudo isso e o meu interesse é apenas abrir os olhos de quem está pensando em largar tudo para viajar.

Deixe um comentário