Maternidade Sentimentos

Para minha filha em seu primeiro ano

Querida Isabella,

Você acaba de completar o seu primeiro ano de vida e eu acabo de completar o ano mais feliz e realizado da minha. E nesse curto período de tempo, você já me ensinou mais do que eu aprendi durante os meus últimos 25 anos.

Desde aquele dia mágico em que você veio ao mundo, a minha vida se tornou uma série de novas descobertas. Eu não posso negar que as primeiras noites em claro, ou as vezes em que você chorava sem motivos aparentes foram fáceis de lidar.

Eu estava aterrorizada. E emocionada. E impressionada. E preocupada. E maravilhada. Você me fez experimentar todo o tipo e gênero de emoções que podem existir. E então, aqueles longos dias e as intermináveis noites foram passando. Um dia após o outro.

E num piscar de olhos, você completou três meses. Pode parecer pouco tempo, mas aos três meses de idade, você ja possuía dois passaportes carimbados e esteve em três países. E, mais incrível do que isso, você já tinha a magia de conquistar a todos ao redor.

Eu recordo daqueles dias quando você despertava pela manhã, e permanecia esperando em seu berço para que eu vá te buscar. O seu rosto se iluminava quando me via chegando mais perto. Bastava te dizer “bom dia” para que você abrisse aquele sorriso.

E então você queria permanecer em meus braços, como se o seu mundo estivesse aí. E eu estava lá para você, para te acolher e te proteger. Para te amamentar e te dar a vida. Para te consolar e te fazer dormir. Para que você sempre saiba o quanto eu te quero bem.

Incrivelmente, aqueles dias largos e noites termináveis começaram a passar ainda mais rapidamente e, a cada dia, novas mudanças e desafios foram surgindo. Neste mesmo tempo, eu tentei encontrar respostas para aqueles desafios em centenas de livros e artigos na internet, mas parece que a sua capacidade de me ensinar bem mais eficaz.

Quando eu queria te ensinar a dormir durante a noite para que eu pudesse descansar um pouco, você me ensinava que eu poderia dormir mais tarde e que aquele tempo com você nos meus braços nas madrugadas frias terminariam rápido. Você estava certa.

Então, chegou o tão esperado momento para te oferecer as primeiras “papinhas”, aos seis meses de idade. Por todas as suas caretas a cada novo alimento, eu entendi logo que você não tinha muito interesse em outros alimentos que não fossem o leite da mamãe.

Logo, você queria sair da mesa (talvez, para fugir daquelas papinhas), para sair engatinhando por toda a casa. E enquanto você se parava como se fosse sair caminhando a qualquer hora, eu permanecia lá, apenas admirando a sua vontade de aprender.

Maior do que a ansiedade que tinha em te ver crescer era o meu desejo em desfrutar de cada fase mágica do seu desenvolvimento. Eu não me cansava de cantar a música da estrelinha para te fazer dormir, ou da Dona Aranha para ver mais uma gargalhada sua.

Mal posso acreditar que já se passou um ano desde o dia em que te trouxemos da maternidade, tão frágil e dependente. E agora que você acaba de completar o seu primeiro ano de idade, eu quero celebrar.

Eu quero celebrar para que você sinta a minha alegria por ter você em minha vida e sinta o meu orgulho pela criança maravilhosa em que está se tornando. Eu quero celebrar por todas as suas conquistas, por tudo o que você já aprendeu e me ensinou.

Todos os dias enquanto você aprende algo novo eu renovo a minha inspiração para apreciar as coisas mais simples da vida. O mais importante que aprendi é enxergar o mundo com os seus olhos.

E enquanto você ainda desperta durante a noite, eu reflito sobre o quanto eu me tornei mais paciente e tolerante com você. Se você ainda não é “esperta em dormir por muitas horas seguidas, talvez você queira fazer outras coisas mais interessantes.

Se tem algo que você faz muito bem é me encher de amor. Eu amo o quanto você aprecia o vento. O jeito que você brinca na grama. O quanto você se encanta quando vê um passarinho. Ou, como você respeita e adora os seus avós.

Enquanto eu sigo te amando, você adora dançar, no seu ritmo. Perninhas balançando de um lado para o outro, sem parar. Dance, minha filha, dance. Ah, e você adora música. Lembre disso se você chegar a pensar que nunca teve nenhum talento no futuro.

Os primeiros dias da sua vida foram intensos. Agora, eu percebo que os dias podem parecem realmente largos, mas que os anos são definitivamente curtos. E aproveitar cada momento com você tem sido o melhor desse seu primeiro ano.

Eu te levei para passear no parque, quando você ainda tinha apenas uma semana de vida e você me ensinou a apreciar o sol e o vento. Depois, eu te levei para passar o seu primeiro Natal com a família no Brasil e você me fez enxergar o quanto amor eles têm.

Eu também te levei comigo para o supermercado e você me inspirou a ler com mais atenção os rótulos dos alimentos. Eu comecei a fazer mais exercícios físicos para te ensinar pelo exemplo. Eu faço questão de ler os meus livros e os seus contos favoritos infinitas vezes, para que você aprenda a descobrir novos universos por meio da leitura.

Definitivamente, 38 semanas te levando no meu ventre não foram o suficiente para preparar o meu coração. Acho que não cabe no meu peito todo o amor que você já me faz sentir. Eu sinto tanto amor e o privilégio de ser a sua mamãe.

E agora, eu apenas espero que um dia você leia essa carta. E quanto isso acontecer, lembre que o dia mais feliz e realizador da minha vida foi o dia em que você veio ao mundo. E saiba também que esse seu primeiro ano foi a minha maior aventura.

Feliz aniversário, filhinha.

Mami

Deixe um comentário