Mais liberdade

5 perguntas que você deve se fazer antes de comprar a sua primeira casa

Comprar a sua primeira habitação pode ser uma das experiências mais gratificantes da sua vida. Não há nada como voltar para casa e saber que aquele mesmo ambiente acolhedor, que você mobiliou e decorou do chão ao teto conformo o seu estilo, também pode ser um futuro para a sua liberdade financeira.

Agora, antes de sair correndo para a imobiliária para escolher uma propriedade e então tomar um empréstimo para pagar um financiamento, vale questionar-se sobre os pontos a seguir.

1. O que eu quero com uma casa?

Comprar uma casa não é apenas uma decisão financeira. Se trata de criar um espaço para você.

Tome tempo para considerar o que é mais importante para si mesmo e então busque por uma casa que atenda ao seu estilo de vida.

Por exemplo, se você gosta de cozinhar, uma grande cozinha pode estar no topo da sua lista de desejos. Ou, se o seu fim de semana perfeito envolve a leitura, um espaço ao ar livre ou uma lareira podem ser as características mais preferíveis.

brandon-morgan-32883

A localização sempre foi importante para os compradores e é especialmente importante para a nossa geração. É natural que você deseje estar perto de boas escolas, trânsito público, lojas e restaurantes.

Leve algum tempo e percorra os bairros dos seus sonhos. Visite as lojas e restaurantes locais. Fique atento aos bairros vizinhos também. Existem locais que você não considerou?

Certifique-se de mapear como seria a sua rotina e o quão acessível esse local estaria de seus amigos e familiares.

Considere também que, uma vez que você se torna um proprietário, você é responsável por reparos e manutenção que podem variar drasticamente o tipo de casa que você compra.

Os condomínios podem dar menos trabalho para manter, porque você provavelmente contará com serviços para cuidar de áreas comuns. Não esqueça que nesse caso você terá que pagar por estes serviços.

Os projetos de uma moradia podem ser tediosos, demorados e caros, mas você vai saborear a sensação de voltar para casa todos os dias e ver o resultado do seu trabalho.

2. Quanto eu posso pagar?

Estar consiente do seu poder de compra é uma questão-chave.

Sente-se com um corretor financeiro para traçar o que você pode pagar.

Você precisará ter dinheiro em mãos tanto para o pagamento inicial como para os custos de fechamento do negócio. Esses custos podem variar de 2% a 5% do preço da casa, e os requisitos variam de cidade a cidade e de estado a estado.

Entender sobre esses custos é tão importante como estar preparado para os outros pagamentos.

Em outras palavras, você também precisará orçar seus custos mensais, que incluem a hipoteca, os juros de hipoteca, os impostos de propriedade, seguro do imóvel e utilidades (coleta de lixo, sistema de fornecimento de água, gás e eletricidade).

Em alguns casos, você será responsável pelo pagamento de taxas da associação de proprietários (se for comprar um apartamento ou uma casa em um condomínio). Essas taxas cobrem o custo das comodidades compartilhadas — como uma academia ou elevador e até podem incluir um seguro de propriedade.

[RELACIONADO] Em defesa da frugalidade — quando o luxo se torna mais uma droga

3. Este é realmente um investimento?

Para saber essa resposta, faça as contas. Qual é o custo de ser o dono versus alugar?

Veja se os juros do financiamento, somado aos custos de propriedade e de manutenção são menores do que os ganhos que você teria investindo o seu dinheiro em outros investimentos (descontando o aluguel, claro).

Enquanto tendemos a pensar na propriedade como um investimento, isso nem sempre é o caso. O valor da sua casa até poderia ser apreciado (crescer) com o tempo, enquanto você constrói patrimônio com cada pagamento da hipoteca. No entanto, não há garantia disso e as quedas no mercado imobiliário devem ser consideradas.

A compra pode ser sim um investimento, mas como qualquer investimento, essa vem acompanhado de algum risco. Tenha em mente que a vida pode dar voltas inesperadas, especialmente entre os seus 20 e 30 e poucos anos de idade.

Photo by Stephen Di Donato on Unsplash

Os especialistas dizem que você deve viver em sua própria habitação por, pelo menos, cinco anos para, então, equilibrar os altos custos de fechamento do negócio, os gastos com a venda, etc. Isso sem falar que os processos de compra e venda costumam ser exaustivos.

Então, você quer estar amarrado ao mesmo bairro, na mesma cidade, pelos próximos cinco anos? O seu futuro estilo de vida se encaixa na casa que você pode comprar hoje?

3. Qual tipo de hipoteca é certo para mim?

O velho ditado “conhecimento é poder” nunca foi mais verdadeiro do que ao comprar uma casa. Existem inúmeras opções de empréstimo e financiamento, cada uma com taxas de juros, termos e padrões de qualificação diferentes.

Consulte diferentes credores que poderão trazer diferentes perspectivas sobre programas de empréstimo, taxas de juros e outros padrões de qualificação.

Falar com vários credores, e não apenas com os agentes bancários, pode ser crucial para encontrar o programa de financiamento certo para você.

5. Devo comprar construída ou em projeto?

Comprar uma casa construída é algo que muitos não consideram, mas deveriam.

Uma casa pronta geralmente está em uma comunidade bem estabelecida e a compra tende a ser um processo mais rápido do que esperar que o projeto de construção e entrega seja finalizado.

Enquanto isso, comprar uma casa pronta te dá a oportunidade de personalizar tudo, desde o plano até as bancadas. As casas novas também tendem a ser mais eficientes em termos energéticos e são feitas para cumprir a legislação mais recente.

Adquirir uma casa nova também significa preocupar-se menos com reparos. Muitas casas novas possuem garantia de um ano, o que pode cobrir os custos de qualquer dano.

Photo by Irene van der Poel on Unsplash

Independente de qual seja a sua escolha, se é que você decidir comprar a sua própria moradia, essa provavelmente será uma das maiores decisões de compra da sua vida. Por isso, envolva-se no processo e desfrute do aprendizado.

Para mim, o processo de compra do meu primeiro apartamento junto com o meu esposo foi um momento que gerou bastante ansiedade e muitos questionamentos — Será que este imóvel irá valorizar com o tempo? Será que não deveríamos investir em outro local? — no entanto, o sentimento de chegar em nossa “casa” no final do dia fez tudo isso valer a pena.

[RELACIONADO] Como a nossa geração está redefinindo o sucesso?

Você está pensando em comprar o seu primeiro lar? Quais os fatores que você está pesando? Comente logo abaixo.

Deixe um comentário