Mais vida familiar

6 dicas para preparar-se financeiramente antes da chegada de um filho

Eu sinto que tenho uma compreensão sólida sobre finanças pessoais, poupança e planejamento. Mas, quando as crianças entram na soma, reconheço que ainda tenho muito o que aprender. Eu sei que ter filhos é caro, mas além de fraldas e brinquedos, o que mais devemos fazer para nos preparar financeiramente para mantê-los?

Para me ajudar a dar uma perspectiva, e com base no que eu já aprendi sendo mãe, pedi a algumas mães financeiramente experientes que dêem seus melhores conselhos para quem estiver na fase de planejamento familiar.

Vamos aos conselhos:

1. Defina um estilo de vida para a sua família

O primeiro conselho que obtive é que você e seu parceiro devem deixar claro o estilo de vida que desejam para a sua família, antes mesmo de pensar sobre todas as formas em que vocês irão gastar dinheiro com uma ou mais crianças.

É fácil ser ludibriado com os brinquedos caros e todos os custos adicionais que um bebê pode representar em sua vida, mas você ainda precisa se concentrar em como deseja viver quando chegar a nova adição à sua família.

Isso significa olhar para todos os aspectos da sua vida e tomar uma decisão sobre como você quer viver.

Você ainda quer jantar fora? Ter férias regulares? Você deseja continuar praticando ioga?

Saber o estilo de vida que você deseja manter irá ajudá-lo a planejar todos os aspectos da sua vida financeira uma vez que o primeiro bebê chegue.

Por exemplo, se você quiser continuar jantando fora regularmente, você também deveria considerar a reserva de dinheiro no seu orçamento para uma babá.

Sem esse foco nas partes de seu estilo de vida mais importantes para você, torna-se fácil gastar dinheiro com o supérfluo.

2. Reveja o seu plano de saúde

Ao me preparar para começar uma família, uma das últimas coisas sobre as quais ouvi falar era sobre garantir que meu plano de saúde providencie a cobertura necessária. No entanto, esse é mais um conselho que ouvi de mães experientes: “reveja o seu plano de saúde o quanto antes!”

Há algumas coisas que você deve observar para entender a quantidade de cobertura que sua companhia de seguros irá fornecer e quanto você será responsável por pagar do seu bolso.

Tende entender:

  • Seus benefícios básicos — qual é a cobertura para consultas, ultrassonografias e o parto (incluindo o que o plano cobre para uma eventual cesariana);
  • Seus benefícios de pré-termo — qual cobertura está disponível se você der a luz mais cedo do que o esperado (incluindo tratamentos adicionais);
  • Quais médicos estão dentro da rede — antes de pedir recomendações de um bom médico, pergunte ao seu provedor de seguros quais estão disponíveis em seu plano;

Se você fizer essa tarefa e achar que seu plano de saúde não irá cobrir adequadamente o que você precisa quando engravidar, você tem a chance de trocar de plano. Apenas certifique-se de ler as “letras pequenas” antes de fazer uma mudança.

Alguns provedores de seguros terão um “período de exclusão”, o que significa que você precisará estar segurado com eles por um certo tempo antes de tirar o máximo proveito da cobertura de maternidade.

3. Economize para a faculdade dos filhos, se possível

Todos sabemos que uma boa educação vem com um preço. Ao iniciar uma família, essa questão geralmente está no topo da lista de temores financeiros.

Depois de ver tantos jovens deixarem a universidade com uma enorme dívida estudantil, como mãe, eu reconheço que deveria fazer tudo o que posso para o futuro educacional dos meus filhos.

Quando a minha primeira filha nasceu, eu estudei as opções de fundos universitários e percebi pouca vantagem em deixar mensalmente algum dinheiro depositado lá. Isso porque os juros pagos anualmente são menores que os de um fundo de investimentos tradicional.

Não quer dizer que eu desisti de apoiá-la em seu futuro acadêmico. Eu apenas estou consciente de que devo tomar as melhores decisões com os recursos disponíveis.

[RELACIONADO] O que uma criança precisa de verdade

4. Não adie possíveis transições de carreira

Enquanto o planejamento familiar pode tomar muito da sua atenção, não adie uma possível transição de carreira, porque isso terá um impacto financeiro em seu futuro.

Quando uma amiga estava esperando o seu primeiro filho, ela percebeu que precisava encontrar uma nova carreira, mesmo que o momento não fosse o mais ideal. Ela sabia que se esperasse até que seu filho nascesse, ela poderia continuar adiando essas decisões para sempre.

Como mulher, quando você começa uma família é fácil colocar as suas próprias necessidades no fundo da pilha. Assim, nunca será o momento certo para perseguir uma promoção ou buscar algo novo. Em contrapartida, não adie a busca do que você realmente quer, apenas porque está planejando uma família.

[RELACIONADO] Por que trabalhamos tanto?

5. Tenha um plano B

Um tema comum entre todas as mulheres com quem eu falei foi que você deveria planejar o que puder, tendo em mente que as coisas raramente irão funcionar do jeito que você espera.

Eu e meu marido experimentamos isso. Quando estávamos esperando a nossa primeira filha, decidimos que eu sairia do mercado de trabalho para dedicar-me integralmente à ela.

No entanto, depois que a nossa filha nasceu, eu senti que faltava algo. Eu realmente desejava voltar a trabalhar e sabia que não seria financeiramente inteligente para a nossa família se o meu marido tivesse um “gap” na carreira dele.

Você pode pensar que sabe como vai sentir ou o que quer fazer quando o seu bebê chegar, mas isso pode mudar rapidamente. Pense no valor de um plano B para estes casos e elabore um.

6. Se for necessário, comece a viver com menos

Descobrir que eu estava grávida foi uma nova razão para poupar dinheiro.

Eu e meu marido sabíamos que era importante nos tornar financeiramente estáveis para quando a nossa primeira filha nascesse. Então, cortamos os gastos desnecessários imediatamente. Em seguida, passamos a estudar opções de investimento.

Viver com menos antes de seu filho nascer não só ajuda a reduzir suas eventuais dívidas, mas também fazem a transição para a paternidade e maternidade muito menos estressante.

[RELACIONADO] Na criação dos filhos, menos é mais

Para mim e meu esposo, isso significou estar confortável ​​vivendo com metade dos ganhos dele. Isso me permitiu aproveitar a maternidade, sem me preocupar em trazer um salário para casa logo depois que a nossa primeira filha nasceu.

Se você tiver filhos, como você planejou as suas finanças para a chegada deles? Deixe-me saber nos comentários abaixo.

Deixe um comentário