Mais aprendizado

7 histórias malucas de Richard Branson e o que você pode aprender com elas

Não é surpresa que o magnata empresarial, filantropo e empresário bilionário Richard Branson tenha algumas histórias super-interessantes para compartilhar. De saltar de aviões, lançar novos negócios a festejar demais, ele tem uma reputação extravagante de ser um tomador de risco em suas vida profissional e pessoal.

Antes de mais nada, deixe-me contextualizar sobre quem é Richard Branson.

Nascido em 1950 na Inglaterra, Branson abandonou a escola aos 16 anos de idade — uma decisão que finalmente levou à criação da sua empresa, hoje bilionária, Virgin Records.

Seus projetos empresariais começaram na indústria da música e se expandiram para outros setores, incluindo o empreendimento de turismo espacial Virgin Galactic, que o tornou bilionário.

Seja pelo seu espírito aventureiro ou empreendimentos fora do comum, há muito a aprender com Branson.

Em sua autobiografia recentemente divulgada, “Finding My Virginity“, Branson compartilha alguns das coisas mais malucas que lhe aconteceram e as lições que ele aprendeu de cada uma delas.

1. Nem tudo requer grandes investimentos

Você não precisa de centenas de milhares de dólares para lançar um negócio bem sucedido. Branson é uma prova disso.

Nos anos 60, a mãe dele encontrou um colar caro no meio da estrada. Depois de levá-lo para a estação policial que, meses depois, não encontrou o dono, ela resolveu vender o mesmo por 100 libras, dando o dinheiro a Branson. Com esse dinheiro, Virgin nasceu.

“Pagamos as contas, expandimos a propaganda e começamos o que se tornaria uma marca que emprega mais de 70 mil pessoas hoje”, escreveu Branson.

2. Nunca subestime o poder das mídias sociais

Durante uma noite calma de dezembro na Ilha Necker, enquanto navegava pelo Twitter, Branson recebeu um tweet de uma mulher americana, Shannon Smith, dizendo que gostaria de passar um dia em seus sapatos.

richard_phone_writing_pen_letter_3.jpg

“Sem hesitação, tirei meus sapatos, fui até o escritório e a respondi”, ele escreveu.

Os sapatos foram entregues à Smith, e Branson desafiou-a a usá-los por um dia inteiro.

Smith usou aqueles sapatos na véspera de Natal, enquanto ela apoiava um abrigo para pessoas sem-teto, documentando e compartilhando seu dia através das mídias sociais.

Impressionado por Shannon, Branson acabou criando uma campanha social onde Virgin doava suprimentos para aquele abrigo toda vez que alguém usasse a hashtag #shoeathon.

“A história, em poucas palavras, encapsula o poder das mídias sociais: uma jornada que começou com um único tweet lido no meu iPad acabou fazendo uma diferença tangível na vida das pessoas”, escreveu ele.

3. As coisas nem sempre acontecem conforme o plano

Muitas vezes, a família Branson jogaria cartas, mas esses jogos nunca envolveram dinheiro. Mais tarde, Branson preocupou-se que seus filhos, Sam e Holly, se tornassem apostadores, por causa do quanto gostavam da atividade.

Para ter certeza de que isso não aconteceria, Branson levou-os para Las Vegas para ensinar-lhes de primeira mão os “perigos do jogo”. “Em vez de entrar em uma situação perigosa, decidi apresentar-lhes as armadilhas das apostas pessoalmente.”

New Jersey Casinos Reopen After Budget-Related Shutdown

Depois de perder dinheiro na Roleta, Branson pensou que ele tornaria válido o seu argumento, dizendo a seus filhos: “Assim funcionam os jogos de azar. Todos pensam que podem ganhar, mas, na verdade, não demora nada para que o dinheiro ganho com tanto esforço seja todo jogado no ar.”

Depois de terem se afastado por alguns minutos, deixando algumas fichas sobre a mesa, a família passou pela roleta apenas para encontrar aplausos e mensagens de parabéns.

Depois da sorte grande, Branson notou: “É importante lembrar que existe uma exceção a todas as regras”.

5. Transforme o infortúnio em oportunidade

Branson pode ter sido amaldiçoado com inúmeros desastres naturais.

De sua casa de infância, sua casa no Holland Park, seu pavilhão de cricket em Oxford, seu balão transpacífico e, eventualmente, sua casa na Ilha Necker, todas foram devastadas por incêndios.

Em 1999, logo antes de a Virgin lançar uma nova cadeia de ginástica, a Venture Active, Branson recebeu uma ligação contando que o primeiro clube acabara de queimar.

No entanto, ao invés de se sentir desencorajado, a equipe se uniu para reconstruir. “É fácil sentir-se desanimado em tal situação. Em vez disso, buscamos os benefícios. Enquanto começamos a reconstruir, a equipe se fortaleceu tremendamente”.

[RELACIONADO] O que aprendi com os meus erros do passado — e como você pode aprender com os seus

5. Mova-se rapidamente

Após os ataques terroristas do 11 de setembro, a indústria aérea acabou sendo negativamente afetada.

Para sobreviver ao evento devastador como um negócio, Virgin teve que se transformar completamente — e rápido. “Um dia mudou os negócios instantaneamente”, escreveu ele.

Tomando essas decisões dentro de apenas alguns dias do incidente, Branson notou: “Havia pouca escolha. Em situações extremas como esta, você precisa mover-se rápido”.

Enquanto o evento afetou todo o mundo, Branson explicou a importância de avançar. “Teria sido compreensível se a nossa moral tivesse caído, mas todos se uniram e trabalharam mais do que nunca, o que ajudou a sustentar a nossa posição”.

t-richard-branson-virgin-galactic-spaceshiptwo-crash-cop.jpg

6. Junte as pessoas

Se há uma coisa que você pode aprender com Branson, é como reunir as pessoas. Ele mesmo diz isso: “Se eu tivesse que dar uma razão pela qual tive a sorte de experimentar algum sucesso, seria meu jeito de me unir com pessoas maravilhosas”.

Branson provou isso a si mesmo depois que ele orquestrou um primeiro encontro entre Nelson Mandela e o Dalai Lama. “Conseguimos nos reunir e foi mágico”.

A reunião também ajudou a solidificar uma ideia que Branson teve com o bom amigo e músico, Peter Gabriel, de criar um grupo de pessoas influentes que falariam sobre as questões mais prementes do mundo.

E mesmo depois que Mandela se aposentou, Branson propôs que o ícone africano e sua esposa liderassem a iniciativa, na qual eles aceitaram orgulhosamente.

7. Assuma riscos calculados

Parece que o estilo de vida de Richard Branson pode ser interpretado como irresponsável e impetuoso. Branson é altamente inteligente e os riscos que ele assume são sempre examinados antes de que ele se comprometa.

Enquanto Branson gosta de dizer “sim” para tantas experiências completamente arriscadas, suas decisões sempre vêm com extrema diligência, que é padrão em qualquer empreendimento ou aquisição, especialmente a respeito dos números que Branson é conhecido por lidar. Um dos lemas de Branson sempre foi: “Seja ousado. Mas, não jogue tudo para o ar.”

Que lição aprendida de Richard Branson, ou de qualquer outra personalidade, você poderia agregar a esta lista? Deixe suas recomendações nos comentários abaixo!

Deixe um comentário