Mais aprendizado

Como eu transformei o hábito de assistir TV em um hábito de leitura

Quem leu a página sobre mim sabe que eu sou aficcionada por livros. Desde que muito pequena, se eu tivesse a escolha, eu estaria sentada com um livro nas mãos, em vez de sentar na frente da televisão.

Isso não mudou nada com o tempo. Bem, talvez um pouco. Porque, com o passar do tempo, quando eu comecei a receber o meu próprio salário, eu já podia correr para a livraria a qualquer momento e trazer, pelo menos um, exemplar para casa. Foi na mesma época que eu abandonei definitivamente o hábito de assistir televisão.

Feito isso, eu me deparei com leituras de todos os gêneros em minhas mãos. Desde ficção científica, literatura, história, até romance e auto-ajuda. Eu lia no caminho para casa, no intervalo para o almoço no trabalho e em um canto improvisado do meu quarto.

Até que eu pedi demissão do meu trabalho, me casei e mudei de país. Então eu comecei a ler no idioma mais falado (inglês) do meu novo destino (a África do Sul) sobre tópicos que mais me interessavam nesta nova fase da minha vida.

Eu e meu marido chegamos até a criar um desafio sobre ‘quem poderia ler mais obras completas em um ano’, e, embora esse número não seja lá grandes coisas para quem costuma ler diariamente, eu te digo que em menos de um ano, eu cheguei a ler 10 livros.

São sobre estes livros que eu vou dedicar o restante deste artigo descrevendo um breve resumo sobre cada um. E talvez assim eu possa inspirar novos leitores a abandonarem aquela inútil caixa preta sentada em suas salas de estar de uma vez por todas.

Agora, vamos para os livros.

1. The organized mind

Este foi o primeiro título da obra que eu li neste ano (traduzido livremente: “A mente organizada”), escrita pelo neurocientista Daniel J. Levitin. Neste livro, o autor fala sobre o nosso desafio de lidar com o excesso de informação que nos rodeia.

Enquanto quase todo o mundo ainda assiste TV, ou passa horas no facebook e no e-mail, e deve processar, armazenar e recuperar um volume cada vez maior de informações, este livro mostra que existem maneiras práticas de trabalhar a nossa mente para focar no que importa, e ainda assim conseguir finalizar qualquer outra tarefa.

2. The story of success: outliers

Eu já havia lido esta obra de Malcolm Gladwell em outro momento, mas dessa vez o livro me esclareceu melhor sobre como todas que as pessoas mais brilhantes, famosas ou bem sucedidas possuem o que o autor chama de “valores atípicos”.

Se você ainda não leu, saiba que esse livro explica os segredos dos bilionários da tecnologia, o que é preciso para ser um grande jogador de futebol, por que os asiáticos são tão bons em matemática, e o que fez os Beatles se tornarem a maior banda de rock de todos os tempos.

Outliers (traduzido livremente: “pessoas atípicas”) me fez entender que as pessoas bem sucedidas são aquelas que possuem cultura, família e experiências bem diferentes da maioria de nós. Elas são de fato, incomuns.

3. Blink: the power of thinking without thinking

Esta é uma obra mais recente de Malcolm Gladwell. Aqui, o papel do autor é revelar a forma como entendemos o mundo à nossa volta.

Blink (traduzido livremente: “piscar de olhos”) fala sobre como pensamos sobre as escolhas que fazemos assim, em um piscar de olhos.

Para mim, que sempre me questionei sobre o por quê é tão difícil explicar o que decidimos aos outros, o livro me trouxe uma resposta: muitas das nossas decisões são instintivas, e não racionais.

4. Raising a child with soul

Este livro (tradução livre do título: “criando uma criança com alma”) foi um presente de uma amiga, logo depois do dia em que eu me tornei mãe.

A autora Slovie Jungreis-Wolff, ensina em detalhes sobre como abordar as questões da paternidade, com especial ênfase no fortalecimento da moralidade e caráter da criança.

Com as pressões colocadas sobre as famílias de hoje, muitos pais não têm o fundamento espiritual e conhecimento prático para traçar uma rota clara na criação dos filhos. Agora, depois de ter refletido sobre esta fantástica perspectiva da autora, eu sinto que tenho.

5. Mindfulness

A primeira edição deste clássico da psicóloga social Dra. Ellen J. Langer foi lançada no ano em que nasci, 1991. Recentemente foi criada uma avaliação psicológica baseado na mesma teoria, bem como um instituto no México fundado para aplicar os conceitos de consciência para a saúde e bem-estar.

Mindfulness não é apenas um título (traduzido livremente: “atenção plena”). Este é um que nos leva a dedicar mais atenção em cada momento das nossas vidas no presente, em vez de ficar remontando o passado ou tentando prever o futuro.

6. The brain’s way of healing

O autor Norman Doidge descreve o avanço mais importante da neurociência em quatrocentos anos: a descoberta de que o cérebro pode alterar a sua própria estrutura e função em resposta à “neuroplasticidade”, que é a fonte de um único tipo de cura.

O livro expões diferentes casos de pacientes, que por meio da ação do cérebro foram  aliviados de dores crônicas ou recuperados de acidentes vasculares cerebrais, além de crianças autistas ou com distúrbios de aprendizagem, sintomas de esclerose múltipla e doença de Parkinson, e outras recuperações que antes seriam vistas como milagre.

7. The whole brain child

O neurocientista Álvaro Bilbao explica nesta obra o que já sabemos: durante os primeiros seis anos de vida o cérebro da criança tem um enorme potencial.

Mas, isso não significa que devemos tentar transformar as crianças em pequenos gênios antes dos seis anos de idade, pois, além de ser impossível, segundo o autor, um cérebro que se desenvolve sob a pressão pode perder a sua essência.

Este livro é um manual prático que resume os conhecimentos da neurociência aos pais e educadores, para que eles possam ajudar as crianças a alcançar o seu pleno desenvolvimento intelectual e emocional.

8. Smarter, faster, better: the secrets to being productive 

O mesmo autor (Charles Duhigg) do bestseller “O poder do hábito” publicou neste ano (2016) essa obra que explica os principais conceitos da produtividade e da motivação.

Com base nas últimas descobertas da neurociência, psicologia e economia comportamentais, o livro traz casos de CEOs, reformadores educacionais, generais, agentes do FBI, pilotos de avião e compositores, revelando o “segredo” para eles se tornarem mais produtivos: dedicando-se mais, sem sacrificar o que realmente importa.

9. Presence: birnging your boldest self to your biggest challenges

A professora de Harvard Amy Cuddy tornou-se mundialmente conhecida por seu TED talk sobre “poses de poder” e por insistir no conceito “fake it until you make it” (finja até você conseguir).

Agora, ela ensina neste livro sobre como usar as mesmas técnicas simples para nos libertar do medo em momentos de pressão, como o de uma entrevista de emprego.

Amy explica que “presença” é o estado em que paramos de nos preocupar com a impressão que estamos fazendo sobre os outros e, em vez disso, ajustamos a impressão que fazemos em nós mesmos.

Para estarmos “presentes”, segundo a autora, precisamos ajustar a nossa linguagem corporal, comportamento e mentalidade para as diferentes situações do nosso dia a dia.

10. The one page financial plan

Eu já li vários livros sobre finanças pessoais, mas este título foi o primeiro que me fez enxergar o que eu realmente quero da minha vida financeira e como chegar lá.

O autor Carl Richards explica que o melhor plano financeiro tem pouco a ver com o comportamento da bolsa de valores. O mais importante é ter essa clareza sobre onde queremos chegar e, assim, nos preparar para os riscos do caminho.

“Afinal, ninguém sabe se vai ter gêmeos quando só planeja orçamento para um filho”. Em outras palavras: planejar é crucial, mas a vida geralmente acontece fora dos planos.

E é por livros como estes que eu quero manter a televisão longe de vista por mais tempo.

Quais livros você acrescentaria para essa lista? Sério, eu também aceito recomendações!

Deixe um comentário