Mais aprendizado

O guia absoluto para lidar com todas as suas responsabilidades

Às vezes, eu sinto que quase não consigo respirar dado o número de responsabilidades que acabo assumindo na minha vida — sou uma escritora freelance, pesquisadora, autora, blogueira, candidata a um doutorado, mãe, esposa, filha, irmã, amiga, além de tentar ser eu mesma de vez em quando.

Eu sei que não estou sozinha nisso.

Hoje em dia, é tão comum assumirmos várias responsabilidades e, com cada uma delas, vêm desafios diferentes.

Também é comum tentar desempenhar cada função de forma perfeita, mas tantas responsabilidades — sejam relacionadas ao trabalho, criação dos filhos ou desenvolvimento pessoal — significam que inevitavelmente decepcionaremos alguém.

Apesar das possíveis desvantagens de abraçar tanto, pesquisadores descobriram que isso não só pode ser gratificante, como também melhora o nosso desempenho à medida que desenvolvemos habilidades e uma rede de suporte para isso.

No entanto, gerenciar várias funções ao mesmo tempo pode elevar o estresse e a nossa tensão. Isso porque várias funções competem pela nossa atenção e o tempo gasto em cada uma delas vem às custas do tempo gasto em outra coisa, o que acaba criando uma situação de perda em algum momento.

[RELACIONADO] A arte de fazer uma coisa de cada vez e como lidar com o desafio de ser multitarefa

Além disso, o conflito entre as diferentes responsabilidades que desempenhamos pode levar ao desgaste e menor satisfação com a vida — não só para aqueles que vivenciam esse conflito, mas também para as pessoas que estão ao seu redor. Em outras palavras, nosso esgotamento pode se espalhar para os demais.

Nos resta adotar estratégias para gerenciar estes conflitos. Aqui estão algumas maneiras de se fazer isso.

1. Priorizar

À medida que adotamos mais responsabilidades, precisamos pensar sobre o que queremos alcançar com cada um delas.

Pode ser necessário abrir mão de algumas coisas.

Podemos começar listando as nossas principais responsabilidades. Esta lista pode nos ajudar a decidir quais são as mais importantes para nós e como as gerenciaremos.

Pesquisadores referem-se a esse processo de priorizar como o ato de determinar a importância de cada uma de nossas responsabilidades dentro do esquema de nossas vidas.

Algumas pessoas priorizam uma função sobre a outra (por exemplo, família antes do trabalho); outras definem múltiplas funções com igual importância (por exemplo, família e trabalho).

Ao entender nossos valores em torno das nossas responsabilidades, podemos fazer essas escolhas mais facilmente.

Por si só, a definição de prioridades em funções de trabalho e de não-trabalho nos ajuda a aliviar do estresse e dos conflitos em qualquer aspecto de nossas vidas. Ao fazê-lo, podemos encontrar maneiras de gerenciar os nossos problemas.

[RELACIONADO] Como transformar os seus hábitos para encontrar horas extras no seu dia

2. Integrar ou separar

Pesquisas recentes revelaram que as pessoas diferem na medida em que elas integram ou separam funções de trabalho e de não-trabalho em suas vidas.

Por exemplo, algumas pessoas preferem deixar o trabalho no escritório e se concentrar em outras funções não relacionadas enquanto estiverem em suas casas e/ou com suas famílias.

Não existe uma fórmula exata para integrar ou separar funções.

Interessante é o que as pesquisas dizem sobre a nossa geração — millennials preferem integrar o trabalho e a vida pessoal. Qual é o motivo?

Muitos entre nós se voltam para o trabalho como fonte de amizades. Assim, encontrar um local para trabalhar onde também podemos socializar é de extrema importância.

A decisão de integrar ou separar as nossas funções no trabalho e na vida pessoal depende unicamente de nossas preferências pessoais, mas o que as pesquisas indicam é que a capacidade de gerenciar nossos limites, com base em nossa preferência de integração ou separação, é a chave para minimizar o conflito e o estresse.

3. Determinar atividades importantes para cada papel

Para gerenciar melhor todas as nossas responsabilidades, precisamos pensar profundamente sobre cada uma delas e identificar os nossos comportamentos.

Posso dizer que “eu sou uma autora”, por exemplo. Significa que escrevo artigos e livros. Nesse ponto, é importante pensar sobre o que eu preciso fazer para ser uma autora. Eu também poderia dizer que “eu estou sendo uma autora”.

Quando eu me imagino “sendo uma autora”, eu começo a pensar sobre quais comportamentos eu devo me comprometer. Para ser bem-sucedida como autora, eu deveria pesquisar sobre um tema, ler diferentes materiais, definir o conceito de um artigo e então dedicar um tempo a cada dia para escrever.

Ao estabelecer os comportamentos associados a cada função (por exemplo, eu estou sendo mãe, esposa, amiga, etc), podemos determinar se estamos nos concentrando nas atividades certas.

Quando eu estou sendo mãe, dou atenção às minhas filhas e não estou respondendo a e-mails ou pensando em problemas de trabalho.

O segredo está em focar nos comportamentos adequados para desempenhar cada papel.

Talvez, precisamos abandonar os estereótipos e expectativas em relação ao comportamento mais apropriado para cada uma das nossas responsabilidades.

As mulheres que mantêm comportamentos tradicionais de seu gênero no trabalho experimentam mais conflitos quando tentam se adequar ao estereótipo de ser “super mães”. Isso acontece porque elas simplesmente não conseguem fazer tudo de acordo com o que originalmente desejavam fazer.

No geral, precisamos gerenciar cada uma de nossas funções com base em nossa motivação pessoal, energia, recursos e expectativas.

E, mesmo quando gerenciamos proativamente todos os nossos papéis, o conflito pode ser inevitável.

Podemos nos preparar para esses casos, construindo um conjunto de mecanismos de enfrentamento, como revisar as nossas expectativas, confiar nos outros para obter apoio e não se engajar em conversas pessoais negativas, enquanto nos esforçamos para ser mais eficazes em nossas responsabilidades pessoais e de trabalho.

Periodicamente, também precisamos fazer um balanço de como as coisas estão indo e avaliar as mudanças que devem ser feitas para nos tornar mais eficazes em nossas principais responsabilidades.

Como alguém disse uma vez “o truque no malabarismo é determinar quais bolas são feitas de borracha e quais são feitas de vidro”.

Como você lida com as inúmeras responsabilidades na sua vida? Suas recomendações serão bem-vindas logo abaixo nos comentários!

um comentário

Deixe um comentário