Mais contribuição

Qual é o seu “por que?” — pare tudo o que estiver fazendo para responder a essa questão

Você sabe qual é o seu por que? Você já parou para pensar sobre o que o move a fazer o que você faz, ou a ser quem você é? Aqui está uma chance para refletir um pouco mais sobre isso, se você não tem feito o mesmo ultimamente. Essa reflexão também poderá ser o ponta pé para a escrita de uma declaração de missão para a sua vida.

Escrever uma declaração de missão para a sua vida é tão importante para o seu sucesso, mas você pode simplesmente a ter ignorado por todo esse tempo.

Enquanto escrever esse tipo de declaração pode ajudá-lo a encontrar a satisfação e a felicidade mais rápido, fazer isso também pode ajudá-lo a escrever sua declaração de missão pessoal para a faculdade ou uma declaração de missão para a sua empresa, se você é um empresário.

Isso mesmo, também deveríamos escrever declarações de missão para mostrar aos consumidores o coração e a alma dos nossos negócios.

Uma declaração de missão mostra nosso “por que” e permite que as pessoas construam um relacionamento com a nossa marca. A mesma declaração une os funcionários, ela os liga com os consumidores e atua como um guia quando somos testados ou desafiados.

Ao se inscrever para a faculdade, escrevemos uma “declaração pessoal” semelhante a uma declaração de missão dos negócios, mas desta vez para conectar o departamento de admissões ao nosso coração e alma e mostramos por que escolhemos aquele campus.

Quando se trata da nossa vida fora do ambiente acadêmico e profissional, somos constantemente convidados a mostrar o nosso “por que”:

  • Por que você deve ser considerado?
  • Por que devemos ouvir você?
  • Por que devemos querer nos conectar com você e criar um relacionamento?

Enquanto escrever uma declaração de missão é tão importante, eu ainda vejo que muitas pessoas lutam para identificar o seu “por que” na vida e colocá-lo em palavras.

Você pode se sentir confuso sobre o seu “por que” ao se sentir sobrecarregado, ansioso ou como se estivesse trancado no mesmo local sem chegar a lugar algum.

Enquanto eu estava na faculdade, eu enfrentei infinitas incógnitas sobre o meu futuro, como muitos entre nós. Eu me sentia oprimida e confusa, sem saber bem aonde eu poderia chegar.

Lembro-me de falar com um dos meus professores sobre isso, e neste ponto ele me recomendou que eu lesse a obra Man’s Search for Meaning de Viktor Frankl.

O livro é sobre a experiência de Frankl durante o holocausto da Segunda Guerra Mundial. Antes do início daquele holocausto, ele era um psicólogo na Alemanha. Quando os nazistas começaram a invadir o país, ele e sua família foram separados.

Enquanto ele observa que sobreviver ao holocausto foi em parte uma questão de sorte, Frankl enfoca o livro sobre a qualidade que viu em sobreviventes: a vontade de viver, apesar de tais atrocidades; daí o título Man’s Search for Meaning — Em busca de sentido.

Este livro me ensinou a identificar o meu por quê e realmente me fez questionar o que me levava a sair da cama todas as manhãs.

Outras questões que surgiam eram essas: Quando as coisas ficam difíceis, o que me mantém focada e no caminho certo? Quando tenho vontade de desistir, por que eu escolho continuar?

Então, pergunto-lhe: o que o leva a continuar? Quando os tempos são difíceis, o que o manter motivado para avançar?

Eu vou mais além nas perguntas: o que você queria ser quando crescesse? Quais são suas esperanças e sonhos e por que essas são as suas esperanças e sonhos? Que atividades o faz sentir totalmente feliz e realizado? Estar feliz e realizado é simplesmente um sentimento que você obtém? Se trata de um produto ou serviço que você pode oferecer? Ou, o que você deseja é ser parte de uma comunidade e sentir que possui conexão com ela?

Entre na grandeza dessas perguntas e depois escreva a declaração de missão da sua vida. Ela irá guiá-lo em tempos difíceis, em transições de carreira, em relacionamentos que não estão mais positivos em sua vida, e muito mais.

Do mesmo modo, sempre que me sinto sobrecarregada ou confusa, preciso me lembrar da declaração de missão da minha vida: o meu “por quê”. Meu propósito na vida é a melhoria contínua de quem sou como pessoa, enquanto ajudo outros a fazer o mesmo.

Pode parecer que a minha missão seja vaga e não figurativa, mas ela ainda representa muito para mim. A minha missão relaciona-se totalmente com o motivo de eu ter iniciado este blog, com a razão de eu escrever o meu primeiro livro, e com o esforço que eu faço todos os dias para ser uma mãe e esposa melhor.

Eu quero ajudar outras pessoas que possuem o mesmo desejo de melhoria. Eu também quero me envolver em conversas reais com pessoas reais. Eu quero manter comigo um senso de comunidade.

E você? Qual é a declaração de missão da sua vida? Compartilhe nos comentários!

3 comments

    1. Concordo muito, Alan!

      Interessante é que isso o que poucos costumam pensar a respeito. Claro que é mais tentador passar o tempo vagando a mente em tantos outros tópicos, incluso com distrações que não nos leva a lugar algum (ei, não estou julgando — eu mesma faço isso frequentemente). Mas, sim, vale a pena refletir sobre as nossas capacidades e como usá-las para alcançar o que queremos.

      Obrigada pela sua contribuição! 😉

      Thaís

Deixe um comentário